ROI no E-commerce: Avalie para não quebrar o seu negócio

Se está lendo esse artigo é porque você realmente se importa com a saúde da sua loja virtual e quer melhorar os resultados. Por isso avaliar ROI no E-commerce é importante para saber se você está gerindo o negócio da maneira correta, pois com o acompanhamento desse KPI você terá um auxilio melhor no processo de tomada de decisão.

No resumo da ópera todos sabemos que um negócio que possui lucratividade demonstra eficiência no seu modelo de gestão, pois o lucro significa que o empreendedor ou gestor está obtendo maior produtividade ao alocar recursos escassos para um determinado fim.

Quem dita o lucro são os consumidores, através da percepção de valor que é uma dinâmica muito importante dentro do processo de mercado, pois querendo ou não, ela ajudará o gestor do negócio na alocação dos recursos para desenvolvimento de novos produtos como até mesmo definição de verbas para marketing. Bom, como tivemos essa introdução um pouco teórica, vamos a algumas ações práticas que pode ajudar na melhoria do ROI do seu e-commerce.

Gerencie corretamente o seu e-commerce

Separamos alguns tópicos para você começar a analisar sobre o aspectos de questões gerenciais do seu e-commerce e providencie mudanças com o objetivo de aumentar a lucratividade.

Centro e controle de custos

  • centro de custos: muitas vezes os gestores não sabem para onde vai a maior fatia dos seus custos, por isso a criação de centros de custos para avaliar o comprometimento do seu caixa para cada custos/despesas é fundamental.
  • controle de custos: quando criar os seus centros de custos, você deverá criar uma política percentual para cada custo, por exemplo: 20% marketing, 35% operação e assim por diante. Não existe uma regra padrão, esses controles podem variar de acordo com o negócio.  

Um bom insight para definição de controle de custos é o que Robert Fifer no livro Dobre Seus Lucros cita como “Custos Estratégicos” e “Custos não estratégicos”, sendo:

  • Custos estratégicos: todos os custos que aplicado geram mais dinheiro para empresa, ou seja, marketing,vendas e P&D.
  • Custos não estratégicos: todos os custos que aplicados não geram dinheiro para empresa, ou seja, administrativo, equipamentos inutilizados e etc.

Produtos

Com o passar do tempo, a performance de determinadas categorias de produtos ou produtos específicos possuem uma alteração, por isso ficar atento a essas mudanças e utilizar a matriz BCG é tão importante para análise do seu portfólio. Se você não conhece o método, vale a pena investir um tempo para fazer esse tipo de análise, pois ela é muito simples, basta seguir os seguintes passos:

A Matriz BCG é definida com o seguinte quadrante de categorização:

  • Estrela;
  • Vaca leiteira;
  • Interrogação;
  • Abacaxi (cachorro em inglês).

Vamos a explicação de cada quadrante:

Estrela: produtos que possuem boa rentabilidade, porém precisam de altos investimentos em marketing para que a sua empresa se mantenha nas primeiras posições com grande participação de mercado, no geral o mercado para esse produto está em crescimento.

Vaca leiteira: são produtos fundamentais para o seu portfólio, pois já possuem validação e estão consolidados, no geral precisam de baixo investimento em marketing, porém a taxa de crescimento para esse tipo de produto não é tão grande. Esse tipo de produto traz previsibilidade para vendas da empresa o que mantém um caixa “garantido”.

Interrogação: são produtos que estão no estágio de validação no mercado, eles podem dar certo, como errado.

Abacaxi: são produtos que estão em declínio de mercado, não possuem mais demanda e consumidores aptos a comprá-los.

O que entra em questão é, você está investindo no período e o valor correto para determinada categoria ou produto do seu e-commerce? Isso pode impactar no ROI do e-commerce.

Precificação

Chegar na precificação correta e casar todos os custos que você tem desde comprar ou desenvolver um produto, marketing, impostos e entre outras despesas é fundamental para que você consiga ofertar um produto que o seu cliente está disposto a comprar e que gere lucro para o seu negócio. Isso parece uma tarefa difícil, porém com markup, você poderá fazer isso de uma maneira mais simples.

O que é markup?

Markup é um índice que é aplicado sobre o custo do produto para formar o preço da venda, nada mais é do que aplicar a soma de ao custo unitário do produto uma margem de lucro.

Se você quer se aprofundar nesse assunto, temos esse conteúdo específico, ver artigo.

Gestão de fornecedores

Ter uma carteira de fornecedores também é fundamental, por isso você deve desenvolver boas políticas de compras com eles. É claro, por mais que o seu fornecedor seja excelente, nunca dependa de apenas um, tanto para que você fique atento aos preços e condições praticadas no mercado para conseguir efetuar boas compras, quanto benefícios que um determinado fornecedor possa praticar com a sua empresa. Por isso sempre negocie:

  • Prazos
  • Preço
  • Quantidade de produtos

Gestão de estoque

A gestão de estoque está ligada às análises que apontamos anteriormente tanto na utilização da matriz BCG para avaliação dos produtos, precificação correta para manter os valores competitivos com o mercado e sempre manter o fluxo de produtos com o giro correto, quanto a negociação da quantidade de produtos com o valor de compra ideal com seus fornecedores. Se você não fizer as tarefas anteriores sempre terá um grande estoque com grande depreciação e fora o custo de armazenagem. Algumas ações que você pode aplicar para desovar o seu estoque:

  • Liquidação: esse modelo de ação tem como o objetivo a redução de estoque de coleções antigas, geralmente aplicado no mercado da moda, que possui constante mudanças de produtos por conta das estações e datas sazonais.
  • Promoção: tem como o objetivo promover uma determinada categoria de produto ou um produto específico. Nesse tipo de ação, não é abordado alterações no preço do produto.
  • Oferta: esse modelo já está completamente relacionado ao preço, com aplicação de descontos e demais benefícios para o seu cliente.

Aplique essas ações sempre no momento correto para não gerar markdown que impactará na lucratividade do seu negócio, e é claro, uma empresa que aplica constantemente descontos acaba impactando na percepção de valor da marca.

Eficiência das estratégias de marketing do seu e-commerce

Agora que você já sabe como pode otimizar seus custos, chegou o momento de saber como maximizar seus ganhos com estratégias de marketing para adquirir mais clientes e fidelizá-los com o objetivo de aumentar o seu ROI.

Alcance o ROI ideal para o seu e-commerce

No e-commerce existem algumas formas fundamentais para gerar vendas, e desenvolvendo elas de maneira eficiente, você terá impacto direto no ROI das suas estratégias, sendo elas:

  • Tráfego
  • Efetividade de conversão
  • Fidelização da base clientes

Como está o tráfego da sua loja?

O tráfego é a primeira camada do funil, pois é a quantidade de pessoas que acessam a sua loja virtual. Sem tráfego a probabilidade de gerar vendas do seu e-commerce é muito baixa, por isso verifique se você está tendo a quantidade de usuários ideais, sempre se baseando em uma taxa de conversão média de 1%, ou seja,para cada 100 novos usuários, você teria apenas 1 venda. Um exemplo para ficar mais claro:

Digamos que a sua loja virtual possua um ticket médio de R$ 200,00, quanto você precisaria para ter uma receita de R$ 100 mil /mês? Basta fazer o seguinte cálculo:

R$ 100.000,00/ R$ 200,00 = 500 vendas

500 vendas / 1% de taxa conversão = 50.000 usuários

Então resumindo, você teria que ter um tráfego de 50.000 usuários para atingir um faturamento de R$ 100 mil.

Existem várias formas de gerar tráfego para sua loja, seja através de mídia paga como Google Ads, Facebook Ads ou até outras estratégias orgânicas como SEO. O mais importante na definição desses canais é qual gera o melhor ROI para o seu e-commerce e claro que te ajudará a atingir a meta de R$ 100 mil.

Como está a performance de conversão da sua loja?

Uma avaliação importante para e-commerces que já possuem tráfego é a análise da taxa de conversão, pois ela pode alavancar a receita da sua loja sem a necessidade de aumentar o investimento em tráfego, o que gera maior ROI para o seu e-commerce. A melhor forma de aumentar a taxa de conversão de uma loja virtual é através da melhoria da experiência do usuário, sempre utilizando o método de CRO.

Você possui uma estratégia de fidelização de clientes?

Outra fonte de receita que os varejistas digitais deixam de explorar é através do aumento da taxa de recompra que tem como objetivo trabalhar a carteira de clientes já existentes. Você sabia que adquirir um novo cliente custa até 5x mais do que fidelizar um cliente?

Para desenvolver uma boa estratégia de fidelização é fundamental a criação de uma régua de relacionamento com base em um ótima estratégia de CRM.

Quais métricas você deve ficar de olho no seu Marketing

CAC (custo de aquisição do cliente): o CAC mensura o quanto você investe para trazer um novo cliente para a sua empresa;

LTV (lifetime value): o LTV mensura o quanto o seu cliente gastou com a sua empresa ao longo do ciclo de vida dele como cliente, o LTV ideal é sempre 3x o valor do CAC;

ROI (retorno sobre o investimento): e por fim mensurar o quanto cada R$ 1,00 aplicado está gerando de retorno para a sua empresa.

Conclusão

Podemos concluir que não há investimento de marketing que possa sustentar um e-commerce com gerenciamento ruim, pois tudo está conectado, desde um bom produto até o momento de desenvolver uma estratégia tráfego para aquisição de novos clientes na sua loja virtual.

Se você quer mensurar de perto as estratégias de marketing do seu negócio, baixa o nosso infográfico sobre métricas de marketing para e-commerce.

Agência de E-commerce: Como escolher para sua loja virtual?

A escolha de um parceiro estratégico é uma tarefa difícil, ainda mais se errar nessa contratação você poderá ter um problema fatal na sua loja virtual, por isso nesse artigo te ajudaremos a como escolher uma agência de e-commerce. Confira esse passo a passo e selecione o seu fornecedor:

Tipos de agência e suas características

Existem diversos tipos de agências no mercado e cada uma delas possui um know-how diferente para cada momento do seu negócio, e isso é fundamental para que você selecione o parceiro correto para a sua loja virtual sempre tendo em mente os resultados que você precisa atingir.

Agência de Comunicação/Design

São empresas especialistas em criar peças de comunicação para veiculação em diferentes canais, geralmente trabalham com estratégias voltadas a awareness.

Agência de Social Media

Essas agências são especialistas em gestão das redes sociais, através da criação de conteúdo e também ações de community management. Os resultados que devem ser atrelados a esse tipo de agência é o aumento do engajamento da marca com seus consumidores.

Agência de publicidade e propaganda (modelo tradicional de agência)

Esse modelo está quase em extinção no mercado, pois ainda atuam no modelo tradicional de se fazer marketing para as empresas com políticas de BV e demais processos, e muitas vezes não avaliam particularidades do negócio dos seus clientes para saber quais estratégias devem ser aplicadas.  

Agência de Marketing Digital / agência digital genéricas

Essa característica de agências atendem diversos modelos de negócio, porém a deficiência dessas agências é que seus profissionais são muito generalistas em conhecimento estratégico e por não possuírem especialização em um determinado modelo de negócio como é o caso do e-commerce, acabam não entregando o resultado esperado para os varejistas. Pois caso você feche um contrato de parceria, você não sabe qual profissional será direcionado para trabalhar no seu projeto.

Agência implantadora  

A característica dessas empresas é a implantação e desenvolvimento de lojas virtuais. São especialistas em criar layouts e programar o seu e-commerce em diferentes plataformas, por isso se o seu estágio é criação ou migração, esse é o melhor tipo de agência para o seu momento.

Agências de marketing para e-commerce

São empresas especialistas em alavancar as vendas do e-commerce, pois possuem profissionais especializados em varejo digital e também sabem como desenvolver estratégias para aquisição e retenção de clientes com o objetivo de aumentar a receita da sua loja virtual.

Como escolher uma agência para e-commerce

Agora que você conhece as características de cada tipo de agência e sabe que especialistas em e-commerce são a melhor opção, chegou o momento de ter um checklist em mãos para escolher a melhor parceira para a sua loja virtual.

Como fazer avaliação de agência

Existem alguns fatores que você deve avaliar no momento de contratar uma agência para não cair em uma cilada e eles são:

1- Você quer experiência ou ser o experimento?

Cases e depoimentos

O primeiro ponto que você deve avaliar em uma agência é a sua capacidade de gerar resultado, e por isso é tão importante que você avalie os cases que são os resultados que foram gerados para outras empresas e o que esses clientes estão falando sobre essa empresa. Assim como você faz para avaliação de um novo funcionário, entre em contato com os clientes atuais da agência para obter um feedback real.

Aqui na Ciclo sempre gostamos de desenvolver nossos cases em vídeo, pois é o cliente falando sobre o nosso trabalho para não haja interpretação ou alteração dos fatos.

2 – Resultados reais  x dados mascarados

Existem diversos fornecedores que mascaram seus cases em seus sites, você nunca sabe qual foram os resultados obtidos em determinado projeto e nem qual foi a participação da agência no resultado.

3 – Certificado dos parceiros significa alguma coisa?

Muitas agências usam o certificados técnicos como partners do Google, parceria com plataformas e etc. como demonstração de autoridade, porém um ponto que você deve se atentar é que existem dois lados em empresas que se apoiam nesse jargão:

Lado bom: demonstra que a equipe possui capacidade técnica em operar a tecnologia, mas não garante a capacidade estratégica do time.

Lado ruim: na maioria dos certificados de parceiros, existe um interesse comercial em ambas as partes tanto pela geração de receita para o parceiro quanto indicação de novos clientes e isso pode afetar diretamente na oferta que a agência poderá te oferecer como solução. Fique atento a isso nas propostas que receber.

Nós da Ciclo participamos de diversos programas de parcerias, porém nós não damos prioridade a isso, e sim investigamos a necessidade do cliente para saber qual a melhor ferramenta ou canal para desenvolver as suas estratégias.

4 – Entendimento do negócio e necessidades

Você irá entrar em contato com diversas agências, porém as que você deve evitar são as que não buscam entender o seu negócio e nem as suas necessidades, como avaliar essas características:

  • Emitem uma proposta genérica
  • Não avaliam os gaps no seu funil de conversão
  • Oferecem qualquer solução (geralmente embasadas em metas de parceiros)

5 – Verifique o método de trabalho

Empresas que geram bons frutos para os seus clientes sempre possuem uma metodologia de trabalho, tanto em processos internos quanto desenvolvimento de estratégias, por exemplo aqui na Ciclo trabalhamos com três métodos, sendo eles:

  • Customer Success (processo que adotamos na empresa inteira para gerar valor para os clientes e no mercado de e-commerce);
  • Squad ( A estrutura de processo de organização da nossa equipe);
  • TED  (Metodologia própria para desenvolver estratégias para nossos clientes);

6 – Sua agência atual é transparente com seus dados?

Por último se você possui agência ou pretende contratar uma, sempre busque agências que são transparentes com seus dados, por exemplo:

Aqui na Ciclo já chegaram diversos e-commerces que não possuem acesso aos seus dados como Google Analytics, Google Ads e entre outras plataformas, nós consideramos isso inadmissível, pois os dados são de propriedade da empresa, tanto para preservação das informações estratégicas quanto para não haver vazamento de informações dos seus clientes por parte dos fornecedores.

Conclusão

A escolha de um parceiro estratégico para alavancar os resultados do e-commerce tem uma grande importância e consequência no futuro da loja virtual. Tomar a decisão certa, não somente envolve o sucesso ou fracasso da loja, como também a avaliação do profissional responsável por essa escolha. Avaliar todos os pontos levantados, e tomar a decisão correta é mais uma das tarefas importantes no dia a dia do gestor de e-commerce.

Espero que esse conteúdo tenha ajudado na escolha do melhor parceiro para o seu e-commerce, você também pode contar com a Ciclo, somos uma empresa especialista em e-commerce.

Conheça detalhes sobre as principais opções de pagamento no e-commerce

A tecnologia dos pagamentos online avançou muito nos últimos 10 anos. Se nos primórdios do e-commerce não havia tantas opções de pagamento, atualmente são tantas que viabilizam vários métodos distintos para os clientes.

Conhecer as mais diversas opções é fundamental para o comerciante digital maximizar as vendas, assim como ter a consciência de que é importante saber como cada uma funciona em seus vários detalhes.

Transferência bancária

Por mais simples que possa parecer, a transferência bancária é um método eficiente em que é possível comprovar o pagamento em tempo real. Ela pode ser viável em empresas de grande a pequeno porte e muito útil no e-commerce. A gigante internacional PokerStars, por exemplo, aceita essa opção. E na América do Sul não faltam exemplos, como é o caso da carteira digital VCréditos.

Outra vantagem é que o comerciante pode receber o valor integral das vendas, visto que é possível realizar a transferência sem um intermediador (além do banco, claro) entre a compra e a venda.

Cartão de crédito e débito

A ascensão do e-commerce nos últimos anos fez com que o uso dos cartões de crédito e débito se tornassem ainda mais importante para o mundo das compras.

Como vantagem nítida, ambos oferecem recebimento quase imediato, o que torna o processo de compra bem rápido e eficaz. Além disso, no caso do débito, o consumidor pode pedir reembolso após a compra autorizada.

Tanto o cartão de crédito e débito estão atrelados com os processos de gateway de pagamento e intermediador de pagamento — explicação sobre ambos logo abaixo.

Gateway de pagamento

A palavra “gateway”, em inglês, significa “portão de entrada”, e isso já dá uma noção boa de como isso funciona. Esse método atua como se fosse a máquina de cartão no comércio físico, ou seja, é capaz de conectar uma loja virtual com os bancos e operadoras de cartão.

Dessa maneira, na hora de clicar para realizar uma compra, o cliente cai direto na página para concluir o pagamento. O interessante é que na maioria das vezes o processo é extremamente rápido.

Com o gateway, o cliente tem uma variedade enorme de opções de pagamento, como crédito, boleto, transferência, etc.

Para implementar o gateway de pagamento no seu e-commerce, é preciso ter um vínculo direto com operadoras de cartão e banco, para assim conseguir taxas interessantes para o comerciante digital. Esse processo pode pesar no bolso do empreendedor, portanto, é um método mais recomendado para comerciantes digitais de grande porte.

Intermediador de pagamento

No intermediador, o comerciante digital não consegue negociar diretamente com os bancos e operadoras de cartão. Nesse caso, ele tem o vínculo como uma “ponte”, que é o intermediador.

Todo processo de compra é realizado na página do intermediador. Por exemplo, se o cliente quiser adquirir um e-book na sua loja, ele vai precisar se cadastrar na página do intermediador para finalizar a compra — todo processo é feito por lá. Empresas como Pagar.me, PayPal, Mercado Pago, Moip e tantas outras realizam esse trabalho.

Os intermediários são recomendados mais para empreendedores de pequeno e médio porte, e se trata de um processo menos burocrático por parte do comerciante digital. O cliente tem a opção de comprar à vista e também, caso disponibilizado pelo lojista, parcelar pelo cartão de crédito.

Boleto bancário

Método muito tradicional de compras na internet e para pagar contas, o boleto bancário é um título de cobrança. No comércio eletrônico, ela representa 25% das operações.

Pago no banco, o problema do boleto bancário é que a demora pode ser grande. O prazo de até cinco dias úteis para compensar o pagamento, por exemplo, pode atrasar o envio do produto comprado. Além disso, o empreendedor não tem como acelerar o processo e precisa esperar a compra ser compensada para concluir completamente a venda.

Para gerar o boleto é muito fácil, e ele pode ser feita através do intermediador ou gateway, por exemplo.

Carteira digital

Também conhecidas como digital wallets ou e-wallet, elas funcionam como uma carteira física no mundo online. O cliente abastece ela com dinheiro e assim pode realizar compras de maneira muito simples com apenas o login e senha — visto que toda parte de cadastro é feita no próprio site da carteira digital.

Entre elas, está a própria PayPal e outras como Apple Pay, Samsung Pay, Visa Checkout e Masterpass. A praticidade dessa opção torna o processo de compra muito rápido e, claro, com segurança.

A expectativa é que essa seja uma tendência muito forte para o futuro, visto que os especialistas preveem que o uso das carteiras digitais dobre nos próximos anos.

Escolha as opções que mais adequam ao seu serviço

Com tantas opções disponíveis, o empreendedor tem que ter em conta o tamanho de sua empresa para ter o método certo de pagamento com as melhores taxas para si. Por exemplo, não há muito sentido uma loja de pequeno porte contratar um gateway, enquanto é desvantajoso uma grande empresa ser reclusa a poucas opções.

Independente da opção que você escolher, sempre utilize empresas respaldadas no mercado e com boa reputação, afinal, a segurança do cliente e do empreendedor precisam estar em primeiro lugar.

Loja virtual com estoque terceirizado

Hoje em dia, com o comportamento omnichannel dos consumidores, possuindo o fácil acesso para comprar qualquer coisa, em qualquer lugar.

Obviamente, se há um aumento na demanda, há também um crescimento proporcional nas vendas. No entanto, isso acaba trazendo um grande problema para o ramo eletrônico que é: conseguir controlar o estoque.

Diante dessa dificuldade de manter o estoque em alta, e uma variedade de produtos, acreditamos que há uma solução para isso – de uns tempos para cá, muitos empresários estão investindo na loja virtual com estoque terceirizado, e dependendo do modelo de negócio que tiver, isso pode ser algo bastante benéfico.

Se você quiser saber mais a respeito de terceirização de estoque, sugiro que continue lendo. Confira:

Estoque terceirizado: Saiba qual é o significado

O significado do termo estoque terceirizado consiste na contratação de um distribuidor de determinadas mercadorias. Assim, este ficará responsável por fazer todos os pedidos e por controlar o estoque, com a separação dos produtos e realizar – dependendo de terceirização – o despacho da mercadoria por cliente.

Podemos dizer que o estoque terceirizado funciona da seguinte forma: logo que o cliente realiza a compra, o pedido é enviado automaticamente para o sistema do fornecedor.

Este, por sua vez, fica responsável por fazer a separação do pedido, de realizar o controle dos produtos, e após este processo, fazer o envio da mercadoria adquirida pelo cliente.

Estoque terceirizado: vantagens

Se você optou por ter um estoque terceirizado, perceba que você terá muito mais vantagens perante aos outros modelos, porque somente aquelas mercadorias com longa data de validade e preços baixos, podem se encaixar ao modelo de terceirização.

Além de outros benefícios em conta, tais como:

  • Milhares de produtos prontos para o despacho;
  • Importação de todos os produtos para várias distribuidoras;s;
  • Atualização dos produtos e preços;
  • Várias condições de pagamento viáveis para o bolso do consumidor;
  • Apresentação da tabela de preços;
  • Integração no Mercado Livre

Estoque terceirizado: expansão das categorias

Expandir as categorias dos produtos é uma das excelentes possibilidades ao terceirizar o estoque, porque isso não necessita designar um alto custo financeiro para formar um armazém próprio, aumentando assim, a variedade de produtos.

Com isso, através de diversas parcerias com fornecedores e fabricantes, é possível que a venda dos nichos, isto é, produtos bem específicos. A vantagem disso, é que não será mais necessário tê-los no estoque, mas sim mantê-los apenas na plataforma de vendas.

Tipos de estoque terceirizados

No e-commerce, existem dois tipos de estoque terceirizado sem precisar de um galpão próprio. O primeiro deles, é por meio de consignação que consiste na possibilidade do empreendedor disponibilizar uma quantidade específica dos seus produtos, na qual, ele anuncia no site.

Então, ele adquire a mercadoria de forma condicional, ou seja, o dono apenas pagará pelos itens vendidos, em um prazo que está pré-estabelecido. Caso não seja feito, o fornecedor continua com os seus produtos.

A vantagem disso é que, caso não tenha estoque excedente, os produtos não serão repassados e também não será preciso pagar pelos mesmos.

Já a segunda opção é o drop shipping. Para explicar melhor, essa alternativa consiste no processo de receber as ordens de um serviço online, e assim encaminhá-las para o fornecedor, que por sua vez, envia para o cliente em nome da empresa.

Em suma, tudo o que a empresa tem que fazer é anunciar os produtos aos seus clientes pela internet. Quando o pedido for feito, o fornecedor será notificado e despachará o produto.

Além disso, não há nenhuma taxa estabelecida; apenas os ganhos são repassados por meio de comissão pré-estabelecida, não possuindo nenhum vínculo jurídico.

Controle de estoque terceirizado

Para obter o controle de estoque em dia, é necessário a criação de um sistema para que tanto as duas empresas estejam conectadas, e assim não havendo problema ou até mesmo risco de se vender algo que não está disponível para compra no momento.

Por exemplo, no caso do contrato consignado, em que o lojista faz uma reserva dos pedidos, não há nenhuma complexidade, pois você sabe o número exato de produtos que adquiriu e quantas deve vender. Caso queira aumentar, procure novamente o fornecedor e faça uma nova reserva.

Se preferir, opte pela opção do dropshipping, é necessário instalar um sistema de controle que conecte o site de disponibilidade do estoque em tempo real. Para isso, procure um bom programador de sites para ajudar a alinhar as ideias com as duas empresas.

Como saber se o estoque terceirizado é a melhor opção?

É fácil saber quando o estoque terceirizado é a melhor opção para a sua empresa: porque caso você trabalhe com produtos de grandes marcas, esses irão passar pelo estoque do fornecedor antes de chegar até você, e a sugestão é a terceirizaçãodo processo. Esta etapa é mais uma questão logística do modelo de negócio.

No entanto, quando se fala na escala de produtos, podemos dizer que são aqueles personalizados, tais como artesanatos, mercadorias feito à mão, ou até mesmo outros tipos, na qual, a venda pode ser alterada a fim de atender os desejos do consumidor e assim o estoque terceirizado já não é uma boa alternativa.

Porque quem procura esse tipo de compra, está em busca de um serviço diferenciado, tendo uma proximidade com o vendedor.

Além disso, veja qual é tipo de tratamento que a mercadoria condiz com o tipo de serviço para a entrega dos produtos. A empresa ideal é aquela de extrema confiança, pois ela será responsável pelos prazos estabelecidos, as embalagens, os cuidados, a devolução e o transporte.

E lembre-se que a base de qualquer trabalho é a satisfação do cliente!

Respeito e comprometimento são essenciais

E por último, a dica final é que antes de implantar o estoque terceirizado na sua empresa, saiba avaliar quais são as melhores opções. Procure conhecer o seu empreendimento, analise as questões logísticas e entenda quem é o seu público-alvo.

Porque, pode haver casos que o tipo de cliente que a sua empresa busca, acaba atrapalhandona implementação do tipo de serviço, por exemplo.

Afinal, qual é o seu tipo de controle de estoque? Já decidiu qual é o melhor modelo de terceirização? Se você precisar de uma agência de marketing digital, entre em contato conosco. Podemos te ajudar no aumento das suas vendas!

Até a próxima!

Fidelização dos clientes no e-commerce

Quem tem uma loja virtual, sabe que para crescer e se destacar bem no segmento eletrônico, precisa entender que a empresa deve ter uma base de clientes fiéis. Em vista disso, é importante saber como fidelizar, fazendo com que o seu negócio mantenha-se em evidência constantemente diante dos concorrentes.

Pensando desta maneira, o artigo de hoje tratará sobre a fidelização dos clientes no e-commerce. Por isso, sugiro que continue a ler e confira quais são as técnicas para fidelizá-los!

Fidelização do cliente: conceito

Fidelização do cliente, ou tornar seu cliente fiel, é o conjunto de estratégias que tem como objetivo atrair e manter os melhores clientes a consumir mais em sua loja virtual. E para isso, é preciso entender o real interesse e necessidade deste consumidor para conquistá-los e assim fidelizar a parceria entre empresa-cliente. No entanto, esta ação exige muita “mão na massa”.

Em seguida, veja algumas dicas que irão ajudar a cativaros seus clientes:

Saiba quem é a sua persona

Um dos primeiros passos para começar uma empresa é conhecer, estudar e analisar quem é o seu público-alvo, para depois seguir com as outras etapas. Entenda suas necessidades, características, jeitos, pensamentos, posicionamentos e quais são os meios de comunicação mais utilizados. Essas e outras informações ajudam a criar novas estratégias mais assertivas e a elaborar conteúdos relevantes, aumentando o interesse e, principalmente, os engajando.

Caso você já tenha uma base de clientes, vá em frente! Caso não, veja qual é o público que pretende atingir, através de uma pesquisa de mercado. Para isso, procure responder algumas perguntas:

  • Quais são as principais necessidades do meu público-alvo?
  • Quais são suas motivações?
  • Quais são canais de comunicação mais usados?
  • Como é sua rotina? E seus hobbies?

É a partir dessas informações que você conhecerá seu cliente ideal.

Marketing Digital para as lojas virtuais

Independentemente da área de atuação do seu e-commerce, um dos objetivos de fidelizar o seu cliente é trazer uma maior taxa de conversão de leads, e é a partir de então que o marketing digital entra. O marketing digital é uma excelente estratégia para a empresa, para você conseguir alcançar os resultados que realmente almeja.

Crie conteúdo relevantes

Conteúdo é uma outra ferramenta que opera bem nas etapas do funil de vendas de um e-commerce, pois oferece informações de credibilidade e autoridade para a loja. Por exemplo: uma pessoa que comprou um celular em sua loja, pode ter interesse por outros assuntos relacionados, como aplicativos, economia de bateria, os últimos lançamentos de aparelhos, entre outros.

Esses conteúdos podem ser vinculados em um blog, no YouTube, nas redes sociais ou até mesmo nas newsletters. E para que isso esteja bem estruturado e organizado, é necessário que você desenvolva um cronograma de postagens para cada conteúdo.

Atendimento ao cliente

O atendimento ao cliente é uma das melhores estratégias para o negócio dar certo. Por isso, busque prestar o melhor atendimento a ele, pois é no processo de pré e pós venda que o consumidor faz sua decisão de compra.

Também é bastante considerável que a loja virtual esteja presente em diversos canais de relacionamentos, como o e-mail, telefone, chat on-line, WhatsApp, redes sociais e lojas físicas, pois deixa o e-commerce ainda mais conhecido. No entanto, procure testar se esses canais realmente dão certo para o negócio. Caso sim, vá em frente. Ou caso não, reveja melhor as estratégias de marketing.

Programas de fidelidade

O diferencia uma empresa da outra, não é só ter um produto ou serviço de qualidade, mas muito além disso: a forma de atendimento – como já dito anteriormente. Pensando em assim em mantê-los, crie um programa de fidelidade.

No entanto, preste atenção porque hoje, os consumidores estão muito mais espertos e não querem mais ser presenteados com chaveiros, ou produtos sem muita utilidade, não é mesmo?Então, pense em algo que seja realmente atraente e interessante, a fim de estimular o cliente a ser fiel a marca, como por exemplo, o acúmulo de pontos a cada compra, que podem ser trocados por outros itens da loja virtual. Use a criatividade e agrade o seu cliente!

Outra sugestão muito importante é desenvolver o cadastro de clientes VIP, isto é, aqueles que trazem um bom retorno financeiro para o negócio, e que podem ser aqueles que ganham vantagens extras, atendimento personalizado, ter maiores dicas de conteúdo, entre outros benefícios.

Promoção e Oferta

Existem duas palavras, na qual, qualquer consumidor gostaria de ouvir na hora da compra: promoção e oferta. No entanto, são meios que não devem ser feitos com muita frequência, mesmo sabendo que, muitas vezes, o preço dos produtos diminui e o investimento sobre a divulgação aumenta.

Datas comemorativas como aniversário, primeira compra feita na loja, Black Friday, entre outras ações promocionais são oportunidades perfeitas.

Uma outra estratégia é procurar aqueles clientes que fizeram sua última compra, há mais de 6 meses ou em até 1 ano, e lembrá-los que são especiais para a empresa. O que acha de oferecer um baita desconto para ele? Seria uma forma de boa reatar essa relação, não é verdade?!

Redes Sociais

As redes sociais chegaram no momento certo para revolucionar o mercado em geral. Principalmente na relação de fidelização dos clientes. Sabe o porquê disso?

Essas plataformas permitem que comentários, perguntas e opiniões sejam expostas a todo tempo e cheguem mais pessoas a sua loja. Por isso, crie uma fanpage no Facebook, um perfil no Instagram ou uma conta no Twitter, se preferir. No entanto, faça pesquisas antes de decidir em qual delas realmente deve investir.

Pois, a propagação de conteúdos produzidos pela empresa, aumente no alcance, melhora o relacionamento e fideliza seus consumidores. Além disso, interaja de verdade com seus clientes.

Responda os comentários, poste conteúdos relevantes com bastante frequência, pois é desta forma que a sua empresa ganha, cada vez mais, credibilidade para seus consumidores.

E também, os anúncios pagãos ajudam bastante a dar um retorno, quando se é bem planejado.

Off-line

Assim como falamos que as redes sociais, ou em outros termos, as on-line são ferramentas primordiais para a fidelização dos clientes, as mídias off-line ganham destaque, pois consiste na propagação de produtos e serviços.

Modelos como panfletos, folders, revistas, jornais, rádio, televisão e QR Code em mídias impressas são excelentes para direcionar o cliente para espaço digital que podem ser usados na loja virtual.

Conclusão

Conseguir e fidelizar um grande número de clientes para a sua loja virtual é a consequência de um planejamento e uma boa estratégia de marketing. Usando as ações certas, é possível que se estabeleça uma relação verdadeira e duradoura com eles. E dentro deste contexto, é necessário também utilizar o método de mensuração de resultados, pois é através dela que é provável saber se você no caminho do sucesso!

O que você achou deste artigo? Caso você precise de uma agência de marketing digital, entre em contato conosco, para ajudarmos no aumento das vendas!

Até a próxima!