Clube de assinatura para e-commerce

O comércio online vem se modificando ano após ano na busca por atender melhor o consumidor e estar alinhado a mudança no comportamento de compra do usuário. Nesse cenário, diante do crescimento do e-commerce no Brasil, a modalidade de clube de assinatura para e-commerce vem ganhando cada vez mais espaço.

Modelo já bem presente em outros países, principalmente EUA, o modelo de assinatura não é tão novo no Brasil, porém pouco explorado e com certos fracassos por empresas ao longo dessa trajetória.

Diferenças entre loja virtual e clube de assinatura

A loja virtual em seu modelo tradicional é a mais conhecida pelo público, nela o cliente possui acesso a diversos produtos em sua vitrine, seleciona aqueles que interessam e realiza a transação.

A preocupação do gestor de e-commerce está no controle de estoque, investimento para atrair compradores, ficar mais atento ao faturamento por ser variável, ou seja, de acordo com as vendas, além de saber trabalhar bem a exposição e promoção dos itens.

Clube de assinatura

No modelo de assinatura, se trabalha mais a parte da experiência em si. Está embasado em um modelo recorrente de receita, onde o usuário paga uma mensalidade que pode proporcionar uma comodidade ou conveniência.

Geralmente procura-se atingir um público bem mais exato até mesmo pela restrição de itens que busca ser mais segmentado. Desta forma, ele pode oferecer desde itens rotineiros quanto experimental.

Vantagens do clube de assinatura em e-commerce

Adotar este tipo de modelo não é simples como parece. É preciso um planejamento prévio, identificando se o modelo de empresa e produtos se encaixam neste formato.

Além disso, entender o nicho em que atua, conhecer o ciclo de vida do produto e o tempo de recompra se faz necessário para que possa avaliar e ver se é possível aplicá-lo em seu negócio.

Há diversas vantagens neste tipo de modelo, tais como:

Fidelização dos clientes – a partir do momento que o trabalho para este tipo de modelo é intensificado na retenção das assinaturas.

Previsibilidade de receita – No modelo de assinatura com formato de receita recorrente faz com que tenha maior previsibilidade de entrada de recurso, dando maior margem para planejar suas ações.

Redução de despesas – Nesse modelo formatado, o controle maior do estoque e operação, tende a diminuir os custos tanto operacional quanto investimento, pois a preocupação estará direcionada mais para retenção do que aquisição.

Cuidados no modelo de assinatura

Em qualquer modelo de negócios há suas peculiaridades e desafios. No clube de assinatura, como pode ver, a preocupação está muito ligada a questões de retenção, ficar atento aos principais indicadores, como Custo de aquisição, logística dos produtos e churn rate.

Entender essas questões ligadas ao modelo de assinatura fará com que o seu planejamento em adotar este formato seja mais assertivo e não uma simples aventura. Não são poucos os casos de marcas que fracassaram nesse campo, vão desde a Shoes4you á Walmart.

Modelos de assinatura

Basicamente há três modelos de clube de assinatura utilizados por empresas.

Exclusividade ou Surpresa

Nele é enviado mensalmente uma caixa com produtos exclusivos que muitas vezes não estão expostos na loja virtual, disponibilizadas para os outros clientes que compram a preço de varejo.

Aqui, proporcionar uma boa experiência, produtos diferenciados e uma boa entrega fará com que cative o público e a sua marca ganhe mais assinantes, como também retê-los.

Disponibilização de saldo

Ao invés de enviar produtos, a empresa disponibiliza créditos para a compra em sua loja virtual. Claro que é preciso alguma vantagem neste modelo, por exemplo, se a assinatura custa R$ 80,00 é preciso conceder um crédito maior que este valor. A empresa pode colocar um saldo para compra no valor de R$ 100 ou R$ 110,00.

Assim o cliente fica livre para escolher seus produtos de preferência e a empresa consegue obter uma receita recorrente, o cliente gastando o saldo total ou não. É preciso se planejar bem e olhar o aspecto financeiro para não ter prejuízo no modelo.

Comodidade ao cliente

Há produtos que compramos mensalmente, ou seja, possui seu ciclo de vida curto e uma recompra alta. Pode ser desde alimentos, produtos pets, cosméticos ou até mesmo aparelhos de barbear.

Neste formato, o clube de assinatura proporciona uma comodidade ao cliente, onde ele efetua sua assinatura e mensalmente recebe os produtos em casa, não precisando sair e ir ao mercado ou outro estabelecimento para efetuar a compra.

Conclusão

Mesmo ainda em fase de amadurecimento, o clube de assinatura em e-commerce possui um grande potencial, pensando na grandeza do mercado interno e democratização da internet no país.

Entretanto, é preciso tomar cuidado para os novos modelos que surgem através da internet. Faz necessário um estudo, um planejamento detalhado do cliente, como todo o modelo de negócio da empresa para que assim as chances de sucesso possam ser maiores.

Assim como há empresas que fracassaram, há outras que vem crescendo, como é o caso da WINE que proporciona assinatura de vinhos, há também assinatura de cerveja, clube de livros e outros que vem ganhando espaço, muito pela observação das tentativas de outras marcas.

Há um mercado grande a ser explorado e a sua empresa pode conquistá-lo, desde que saiba bem como jogar este jogo.

Certificações e Selos que todo e-commerce deve ter

O seu resultado em vendas está totalmente ligado à segurança que o seu e-commerce fornece ao seu cliente, neste artigo vamos abordar um pouco mais sobre este assunto e como as certificações e selos para e-commerce possibilitaram mais segurança tanto para os seus clientes quanto para a sua loja.

Tudo o que você precisa saber sobre certificações e selos para e-commerce

Geralmente quando falamos em vendas online para e-commerce, focamos integralmente em marketing digital, de fato é o grande responsável por trazer os resultados em vendas.

Mas não podemos deixar de planejar outras etapas importantes que contribuem com as vendas da loja virtual, neste caso a segurança dos dados fornecidos pelos clientes.

Riscos envolvidos em e-commerce que não possuem certificado digital

Podemos fazer uma analogia muito simples neste ponto, imagine que você esta em uma loja física e esta loja não possui câmeras, não possui seguranças e nenhum tipo de sistema que proteja tanto o estabelecimento quanto você.

Você arriscaria em realizar uma compra nesta loja?

Acredito que não.

Vamos um pouco mais além, imagine que esta loja não seja conhecida, ou seja, uma nova marca no mercado tentando se estabelecer.

Bom, já sabemos a maioria das respostas, dificilmente você realizaria uma compra em um ambiente deste tipo.

Já no ambiente online quando o e-commerce não fornece nenhum recurso de segurança de dados, acaba abrindo brechas para invasões e roubo de dados, neste caso impactando em suas vendas.

Embora empresas novas entrem a todo momento apostando no mercado de varejo online, sabemos que é um grande desafio iniciar as primeiras vendas, sabemos também que o cliente esta cada vez mais exigente, portanto, investir em credibilidade e segurança nunca e demais.

Principais certificados de segurança para e-commerce

Atualmente existem diversos certificados de segurança para um e-commerce ou site, o importante aqui é entender como cada um contribui para o aumento de segurança em sua loja.

Obviamente você não precisará ter todos instalados em sua loja, mas oferecer segurança ao seu cliente nunca é demais, portanto veja abaixo alguns tipos de certificados mais indicados:

SSL Simples: Realiza a função de criptografar a mensagem que foi inserida no seu site, protegendo os dados de seus clientes.

SSL EV: Além da criptografia, esse certificado valida informações da empresa, como CNPJ e endereço. Ela faz com que a barra dos navegadores fique verde, ou seja, indicam ao cliente que o site é seguro. Além de tornar visível sua razão social, agregando valor à sua marca.

SSL Wildcard: Esse Certificado SSL é indicado para lojistas que possuem vários subdomínios. Por exemplo, webmail.lojavirtual.com, carrinho.lojavirtual.com, etc. O Wildcard permite que sejam incluídos novos subdomínios, sem custo durante a duração do contrato.

Uma das empresas especializadas no assunto é a trustsign, nela você poderá encontrar diversas soluções voltadas para segurança digital de sua loja ou site.

Clique aqui para saber mais

Vantagens

Os principais benefícios em se ter uma loja segura com um bom certificado, é que além da credibilidade que você passará ao cliente, contribuirá para você evite fraudes e até mesmo vazamento de informações de clientes.

Proteção de Dados: Como os dados são transformados em códigos que só podem ser lidos pelo servidor de sua loja, a certificação evita qualquer invasão e roubo das informações.

Facilita transações com cartão de crédito: Diversas operadoras de cartão de crédito exigem o certificado digital para atuar em determinado e-commerce.

Sensação de segurança: Com usuários cada vez mais atentos a questões de segurança, o certificado pode ser a garantia de que seu cliente irá optar por sua loja. Certificar seu e-commerce pode significar uma redução na taxa de abandono de carrinho e aumento de sua taxa de conversão.

Melhor posicionamento em SEO: O certificado SSL também funciona como um instrumento do marketing digital, pois ajuda a sua loja a aparecer melhor colocada nas buscas do Google, o que aumenta o acesso ao seu site e, consequentemente, suas vendas.

Valorização da marca: A inserção do selo de segurança, das diferenças em sua barra de endereço e de informações sobre políticas de privacidade bem visíveis acrescenta valor a sua marca, se destacando entre outras do mercado e conquistando a confiança dos usuários.

Os certificados de segurança para e-commerce são tecnologias disponíveis e indispensáveis para todas as lojas virtuais. Ofereça segurança para seus consumidores.

Dica – Ganhe credibilidade em seu e-commerce e aumente suas vendas

Caso não conheça o selo e-bit, indicamos que avalie, ele contribui muito com a credibilidade de sua loja, pois praticamente os consumidores irão realizar avaliações sobre a loja, sabemos que a reputação social é tudo.

O selo E-bit divide as lojas virtuais nas seguintes categorias:

  • Diamante – Excelente
  • Ouro – Ótima
  • Prata – Muito Boa
  • Bronze – Boa

Caso queria conhecer um pouco mais sobre este selo, clique aqui.

Com o crescimento do comércio eletrônico no Brasil e no mundo, foram surgindo outras selos para trazer maior segurança para os compradores, pois eles possuem o objetivo de exibir a credibilidade das lojas perante aos consumidores, por isso separamos uma lista para você:

Selo Black Friday Legal

A Black Friday já faz parte do calendário dos consumidores para evitar as o risco de roubos e fraudes foi lançado o esse selo especial para essa data tão importante no calendário dos varejistas.

Selo site blindado

Se você quer proteger a sua loja de ataque de hackers e crackers a melhor maneira é através desse selo de segurança que possibilita proteger os dados tantos seus quanto dos seus clientes.

Selo site sincero 

Grande parte dos usuários antes de uma compra na internet, buscando opiniões de outros consumidores referente a uma determinada loja, com esse selo é exibido em seu site resenhas com opiniões de pessoas que já compraram em seu site.

Espero que este conteúdo tenha te ajudado de alguma forma.

Caso tenha duvidas ou sugestões, fique a vontade para comentar no formulário abaixo.

Um grande abraço.

Como elaborar precificação dos produtos do seu e-commerce?

Uma das maiores dores de quem trabalha com mercadorias é o momento de realizar a precificação do produto. Isso porque se trata de uma fase primordial para que a empresa cresça e lucre cada vez mais.

No momento de calcular o preço de venda de determinado produto, muitos empresários deixam de lado alguns custos essenciais para realizar o cálculo e acabam errando no momento de precificar corretamente, como é o caso de considerar os custos fixos e variáveis da empresa no momento de formação de preço.

Passo a passo para precificação dos produtos do seu e-commerce

Não é uma das atividades mais prazerosas ficar calculando o preço de venda, porém é essencial para que a empresa consiga crescer e se desenvolver de forma exponencial. Por isso, vamos mostrar o que deve ser considerado no momento de formar os preços de venda e como realizar este cálculo.

Formação do preço de venda

No momento de formação do preço de venda, a empresa deve considerar todos os custos envolvidos seja diretamente ou indiretamente sobre o produto, somado ao lucro pretendido pela organização.

Dentro dessa equação, consideramos para precificação de produto, os custos fixos e variáveis da empresa, acrescido da margem de lucro esperada pelo empresário.

Custos fixos

São os custos que a empresa tem todo mês, ela vendendo ou não. Podemos considerar como custo fixo, o aluguel da loja, funcionários, material de limpeza, etc. Muitos não colocam na equação, fazendo que muitas vezes, ao final do período conste déficit na operação.

Custos variáveis

Os custos variáveis, como o próprio nome diz são os custos que variam de acordo com a produção ou venda, ou seja, quanto mais você vende, mais sobe. Nesse grupo de despesas podemos considerar as comissões dos vendedores, energia elétrica, matéria-prima e etc.

Margem de lucro

A margem de lucro é a que você espera ganhar em cima do capital empregado. Não há uma porcentagem fixa. Algumas áreas de mercado a porcentagem pode chegar a 70 ou a 100%, entretanto, alguns não passam de 5%.

Markup

O markup ou Mark up é um índice que auxilia no processo de formação de preço de venda. Trata-se de um multiplicador calculado em cima do custo do produto. De uma forma prática, ele lhe da o resultado do valor de venda de determinado produto calculado. Isso garante que os custos de produção ou aquisição do produto estão cobertos e seja adicionada a margem de lucro esperada.

Grandes empresas utilizam este índice na formação de preço, entretanto, pela sua facilidade, empresas de todos os portes podem adotar este índice para maior assertividade da precificação do produto.

  1. Procure identificar a porcentagem de custo fixo atribuída a cada unidade do produto
  2. Após isso, identifique a porcentagem de custos variáveis atribuídas a cada unidade do produto
  3. Ao final, defina o percentual de margem de lucro pretendida a cada unidade

Vamos realizar o calculo através da seguinte fórmula

100/[100-(DV+DF+LP)]

DV: Despesas variáveis

DF: Despesas fixas

LP: Lucro pretendido (margem)

100: Representa o preço unitário total de venda em percentual

Exemplo: Consideremos que o custo do produto ou serviço seja de R$ 30,00 e sua estrutura de custos esteja da seguinte maneira:

DV: 10% / DF: 10% / LP: 10%

Markup = 100/[10+10+10)]

Markup = 100/ 30

Markup = 3,3333

Descoberto o markup, basta aplicá-lo ao custo direto do produto ou serviço:

Preço de venda = 30*3,3333 = R$ 99,99 ou R$ 100,00.

Preço de mercado

Quando vamos formar o preço de venda, como pode ver, levamos em consideração os custos que a empresa tem para fazer ou adquirir aquele produto e soma-se a margem de lucro desejada. Entretanto, não podemos considerar esse ponto como regra ou exclusivo para definir o preço de um produto.

O mercado é regido por oferta e demanda. Sendo assim, levar em consideração os preços praticados no mercado é essencial para trazer o preço de venda pra realidade. De nada adianta formar o preço de venda e ninguém comprar devido ao seu alto custo e a concorrência oferecer o mesmo a preço menor.

Esses pontos são importantes no momento de precificação de um produto. A formação de preço está ligado a aspectos financeiros e mercadológicos. Se formado o preço e ele ficar muito acima da concorrência, é preciso reavaliar a idéia, composição dos preços, entre outros aspectos.

Valor da marca

Um ponto que consegue diferenciar em relação a formação de preços e conseguir maior margem é o valor que a marca transmite. Vemos muito isso em celulares, roupas e outros produtos onde são produzidos a custos próximos, mas determinada marca consegue cobrar um preço bem superior ao mercado.

Isso se deve ao valor que o consumidor enxerga naquela marca e o que ela transmite. Provavelmente você já deve ter escutado que valor é diferente de preço. Essas marcas conseguem expor bem essa expressão. Podemos citar como exemplo, marcas como: Apple, Coca-cola, Louis Vitton, entre outras.

Claro que muitas possuem boa qualidade, produto durável que reforçam o preço, mas os valores intrínsecos, percepção contam muito no preço cobrado por essas marcas.

O custo de não precificar corretamente

Já vimos muitos problemas que ocorrem no momento de não precificar corretamente. Seja um produto ou serviço, isso impedirá a empresa de crescer e alcançar os lucros desejados. A precificação é um dos principais causadores disso.

Seja deixando custos de lado que ao final vão comendo a margem de lucro, como em serviços, onde a empresa praticamente começa a trabalhar no prejuízo, isso pode causar altos danos e até mesmo a falência da empresa.

Precificar corretamente ajudará a dar maior escala para suas vendas. Imagine você investir em marketing, vender os produtos e descobrir ao final que as contas estão no vermelho, o investimento não se pagou… Muitos colocam como solução o aumento das vendas, mas descobrem que ao final, sua precificação está feita de forma incorreta, escorrendo o lucro pelo ralo.

Fique atento ao momento de precificar, rever os custos da empresa e até mesmo o estágio daquele determinado produto. Isso contribuirá para uma operação mais rentável e que cresça de forma sustentável.

Gostou desse conteúdo ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário

5 formas de aumentar o tráfego orgânico da sua loja virtual

Entre tantos os desafios de possuir um e-commerce, um deles é conquistar novos clientes. Para isso, muitos investem pesadamente em mídia paga para aumentar o tráfego da sua loja, e outros que não possuem tantos recursos, precisam buscar outras formas para conquistar novos clientes. É nessa hora que muitos começam a pesquisar sobre como aumentar o tráfego orgânico para a loja virtual.

Tudo o que você precisa para aumentar o tráfego orgânico da sua loja virtual

Mas não se trata somente de dispor de recursos financeiros, mas sim de ter um negócio sustentável e que seja cada vez mais lucrativo. Os lances por palavras-chave estão cada vez mais competitivos, aumentando o seu custo e para alguns mercados, custos elevadíssimos.

Basta pegarmos exemplos de produtos altamente concorridos como celulares, eletrodomésticos, eletrônicos, vestuários, entre outros que são dominados por e-commerces e marketplaces de sucesso como B2W, Submarino e Cnova que operam até em prejuízo, despendendo gastos altíssimos com compra de mídia.

Os riscos em depender de mídia paga

Um dos benefícios de investir em ações orgânicas – considerando que investimento não é somente recurso financeiro, mas também de tempo e esforço, é o equilíbrio entre as ações e diversificações de canais que permitem aumentar o tráfego para a loja.

Outro ponto é pensar no ROI das ações. Muitas vezes, o custo de investimento em uma mídia paga não gera um resultado positivo, tendo assim um ROI negativo.

Pense que desta forma, toda vez que quiser aumentar as vendas, aumentando o tráfego do e-commerce, você terá que investir mais recurso. Se antes investia R$ 5.000,00 em compra de mídia para ter “x” acessos, para ter “2x” precisará despender de mais dinheiro, o que afeta em maximizar os ganhos da sua operação.

Os benefícios de investir em ações orgânicas

aumentar-o-tráfego-orgânico-SEO

Por outro lado, investir em ações orgânicas é altamente recomendado, tanto pensando em otimização de recursos financeiros, como na perpetuidade das ações. Isso porque, na mídia paga, caso você pare de investir, os acessos cairão, e consequentemente as vendas.

Em ações orgânicas, o crescimento é constante e evita essas quedas bruscas de acessos e conversões.

Entretanto, é preciso estar ciente que ações orgânicas levam tempo e exige certo esforço dos profissionais, como veremos a seguir. Mas é preciso começá-las e colocá-las em prática, caso queira um e-commerce competitivo com mais acessos e mais vendas.

O que fazer para aumentar as visitas orgânicas no e-commerce?

Neste artigo, procuramos separar 5 formas de aumentar o tráfego orgânico do seu e-commerce. Vejamos algumas delas:

Você investe em SEO?

aumentar-o-tráfego-orgânico-estratégias-SEO

SEO (Search Engine Optimization) é considerada a principal estratégia para aumento do tráfego orgânico para um site. Consiste em otimizar suas páginas para os mecanismos de busca como Google, Yahoo ou até mesmo Bing.

Dividido entre SEO Onpage e Offpage. Sendo o SEO Onpage, onde se procura otimizar as páginas para melhor leitura e indexação de seu conteúdo nos buscadores. Nele é avaliado diversos fatores como:

  • Título e subtítulos das pagina
  • Meta description
  • URL Amigáveis
  • Conteúdo
  • Linkagens internas
  • Experiência do usuário

Melhorar esses fatores nas páginas é um dos primeiros passos para que buscadores como o Google possam enxergar melhor o seu site e assim posicioná-lo melhor, tornando-o relevante e assim conquistando mais acessos.

Outro ponto é o SEO Offpage. Neste caso, conta o que está fora da sua página, ou seja, links externos apontados para o seu site, dando a entender que a sua página é uma boa fonte de conteúdo e pesquisa.

O Google procura ser bem rigoroso quando envolve a experiência da navegação. Com isso, “comprar” links ou obtê-los de forma manipulada, não é bem visto e sujeito a punições, ou seja, queda em tráfego. Isso é conhecido como ações de Black Hat.

Por isso, quanto melhor for a qualidade do conteúdo e experiência de quem acessa sua página, maiores as chances de ser compartilhado naturalmente.

Caso queira saber mais sobre essa importante ação de marketing digital, acesse os conteúdos abaixo. São conteúdos complementares que farão entender melhor cada etapa dessa estratégia.

Aprenda na prática formas para aumentar seu tráfego orgânico com essas dicas

Redes Sociais

aumentar-o-tráfego-orgânico-uso-das-redes-sociais

As redes sociais é um importante canal de comunicação com o seu público. Isso porque com a conquista de seguidores, mais pessoas conhecem sua marca e compartilham deste conteúdo com outras pessoas.

As redes sociais tornam-se um canal estratégico tanto para comunicação com seu público, quanto um canal de tráfego para a sua loja. Unindo este canal a um bom conteúdo, você consegue expandir a base de leads que visitam sua loja organicamente e muitas vezes com maior possibilidade de compra.

Mesmo sendo um canal muitas vezes utilizado para divulgar produtos e vendê-los através dele, as redes sociais tem um papel importante como meio de propagação do conteúdo, fazendo parte de uma grande estratégia de captação de leads e relacionamento que fazem com que aumente as possibilidades de venda através de outros canais.

Marketing de Conteúdo

aumentar-o-tráfego-orgânico-conteudo

Assim como as redes sociais tornam-se um bom canal para aumentar o tráfego orgânico da sua loja virtual, o conteúdo é primordial para trazer algo de valor para aquele lead, gerar interesse e relacionamento. Isso porque cada pedaço é engrenagem fundamental na estratégia como um todo para conquistar novos clientes.

Um bom conteúdo pode trazer diversos benefícios para sua loja virtual e aumentar o tráfego orgânico dela. Por exemplo:

Através de estudo de palavras-chave, uma boa arquitetura de conteúdo e que seja útil para o leitor faz com que mais pessoas encontre seu conteúdo, aumentando assim o tráfego orgânico e mais leads possam ler e converter em alguma landing Page, pop-up ou outra ferramenta de captura que posteriormente possa ser trabalhado o relacionamento e realizar uma oferta de acordo com interesse e momento de compra do lead.

Estratégias para aumento de tráfego contam com ações interligadas de forma inteligente que possam maximizar seu alcance e resultado. Sendo assim, o marketing de conteúdo é peça importante para que outras ações também possam performar bem e você conquiste melhores resultados.

Aprenda na prática como o marketing de conteúdo pode te ajudar, com essas dicas:

Aposte em novos formatos de conteúdo

aumentar-o-tráfego-orgânico-formato-de-conteudo

Desenvolver conteúdos que atraiam seu público é uma estratégia que vem crescendo cada vez mais. Isso seja em um blog post, ebook, infográfico e outros formatos que você deve investir para converter e aumentar sua base de leads.

Procure desenvolver um conteúdo rico que possa ajudar a sua persona a solucionar determinado problema. Por exemplo, temos aqui na  nosso ebook sobre Inbound Commerce que ajuda donos e gestores de e-commerce a vender mais através desta estratégia.

Infográfico é um ótimo formato de conteúdo e que gera grande engajamento com o público. Uma leitura fácil, rápida e que contenha informações principais para o seu público. Para este tipo de material é importante também contar com um design bem bonito e elaborado, o que contribui para que mais pessoas se sintam estimuladas a compartilhá-lo.

Esse é um dos principais pontos sobre os materiais ricos e também blog posts. Bons conteúdos tendem a ser espalhados para outras pessoas que começam a conhecer a sua marca.

Espalhe pelos outros canais

aumentar-o-tráfego-orgânico-canais-digitais

Explorar outros canais que direcionem para sua loja ajuda a conquistar um novo público. Através de conteúdos desenvolvidos no blog,você pode compartilha-los nas redes sociais, produzir um vídeo no youtube, direcioná-lo para conhecer sua loja e etc.

É preciso alinhar a estratégia como um todo que faça o Lead trilhar um caminho em direção a sua loja. Vamos a alguns exemplos:

Você pode produzir um conteúdo sobre os principais games que saíram, compartilha-lo nas redes sociais e dentro do próprio conteúdo ter call to actions que direcionem para sua loja, para aquele game.

Pode também realizar um vídeo com preview sobre o game e ao final direciona-lo para a loja. Para ganhar mais escala, compartilha-lo nas redes sociais.

Através de um ebook que solucione as dúvidas do leitor, capturar esse lead e nutri-lo com conteúdos fazendo com que esteja pronto para realizar uma compra. Tudo isso através do processo de inbound commerce e uma boa ferramenta de automação.

Comece a ligar os pontos

No marketing digital, boa parte das ações estão interligadas para atingir a um objetivo. Ter um bom planejamento como pode ver é essencial para que você consiga conectar as ações e obter um bom resultado.

Aumentar o tráfego orgânico da sua loja virtual exigirá um esforço maior de tempo e também de paciência. Ações como de SEO para obter os primeiros resultados, costumam levar tempo, algo em torno de 3 a 6 meses. Entretanto, como pode ver, é uma ação primordial para ter um e-commerce sustentável.

Quanto antes começar, mais rápido serão os resultados. Se você quer realmente obter melhores ganhos, crescer o número de visitas orgânicas e consequentemente de vendas, não deixe de adotar estratégias que ajudem a aumentar o tráfego orgânico e que lhe dêem um real crescimento das suas vendas, caso tenha dificuldades nós somos uma agência de marketing digital especialista em estratégias de posicionamento orgânico.

Gostou desse conteúdo ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário

Como parar de perder vendas no e-commerce

Já parou e analisou que seu e-commerce pode estar pendendo muitas vendas? Geralmente preocupados em aumentar o tráfego na loja virtual, muitas equipes esquecem de analisar outros aspectos que podem ajudar a evitar perder vendas no e-commerce, e através de simples ações, aumentar seu faturamento com menor esforço.

Está interessado em saber como melhorar os resultados do seu e-commerce, e começar a decolar no faturamento? Continue lendo esse post.

Faça um diagnóstico e evite perdas de vendas no e-commerce

Quando fazemos um diagnóstico de marketing digital nos e-commerces que entram em contato conosco, colocamos nossa metodologia TED para identificar onde a loja está perdendo desempenho.

Uma metodologia que consiste em avaliar o Tráfego que a loja recebe, a Experiência que o visitante tem ao entrar no site, e como estão os Dados apurados e o que se extrai deles.

Hoje você consegue identificar onde sua loja virtual perde desempenho? Há dados que informem onde está o gargalo que impede que o e-commerce fature mais? Onde seus visitantes estão com dificuldades na compra?

Esses são pontos essenciais para começar as mudanças necessárias para que o desempenho da sua loja seja melhor, e isso acarrete em evitar perder vendas no e-commerce e você consiga obter melhores resultados.

Como iniciar esse diagnóstico

Dados

Você pode utilizar essa metodologia, partindo dos dados que consegue coletar do seu site, seja por uma ferramenta de web analytics, como o próprio Google Analytics, como também outras ferramentas que mapeiam o comportamento do usuário. Ou seja, você consegue ter uma visão completa da navegação do usuário, e a partir daí poder identificar os gargalos.

Caso não tenha seu analytics completamente configurado, esse já é um dos problemas que você precisa resolver. Sem dados, qualquer sugestão de mudança ou levantamento de hipótese estará baseada em chutes. Até por experiência dos clientes que chegam até a agência, é um dos principais motivos para perdas de vendas no e-commerce, justamente por não saber o que mudar, e até mudando algo que estava dando certo.

A Experiência do usuário

Aumentar as visitas no e-commerce é algo que ganha disparado quando um e-commerce não fatura o suficiente. Mas do que adianta aumentar 10x o volume de visitas, se a experiência que o visitante tem ao chegar na loja não é a melhor?

Seu esforço será em vão, podendo ser medido através de um KPI bem conhecido, chamado taxa de conversão. A média de mercado brasileiro gira em torno de 1,65%, mas não é incomum vermos taxas bem baixas, girando em torno de 0,40% ou 0,80%.

Melhorar a taxa de conversão pode ser o caminho mais curto para um bom retorno e aumento das vendas.

Quando pensamos em melhorar a taxa de conversão, falamos em ações de CRO ( Conversion rate optimization). Um processo de estudo, levantamento de dados e hipóteses, regrado a muitos testes que buscam aumentar a taxa de conversão do e-commerce.

Como melhorar a experiência do usuário no e-commerce

Para que você possa propor a melhor solução em melhorar a experiência do usuário, e assim evitar perdas de vendas no e-commerce, é primordial ter os dados bem apurados para que assim consiga testar nos ambientes corretos.

Se você quer saber mais detalhado em como adotar esse processo, baixe nosso e-book sobre CRO para e-commerce que pode te ajudar.

De todo modo, separamos alguns pontos que afetam na usabilidade da loja e em sua taxa de conversão.

Checkout

O checkout é uma das principais páginas que você deve ficar atento (a) em seu e-commerce. Uma página de checkout longa, confusa e com distrações, certamente não ajudará o seu cliente a finalizar a compra.

Procure facilitar o processo de compra, de modo que ele possa clicar e passar por campos, o menos possível.

Analisando os dados coletados no analytics e até mesmo através de ferramentas de mapeamento de comportamento, você conseguirá tirar insights para propor melhorias.

Carregamento das páginas

O carregamento de páginas, principalmente e-commerce é um dos principais fatores que fazem com que tenham perdas de vendas no e-commerce. A partir do momento que o carregamento da página demora, a paciência do usuário se esgota, ele fecha a janela e vai pra outro site.

Abaixo, uma análise que o Walmart teve comparando ao tempo de carregamento x taxa de conversão:

Em uma pesquisa da Forrester Consulting com mais de 1.000 consumidores, pode identificar que 47% dos consumidores esperam que a página carregue em até 2 segundos. Sendo que 40% não irão esperar mais que 3 segundos.

Uma página lenta para carregar é motivo de sobra para que sua taxa de conversão comece a cair, já que as pessoas acessam, mas logo saem sem comprar.

Há mais dados sobre assunto que você pode conferir através deste post.

Você também pode testar a velocidade da sua loja através destes links:

PageSpeed Insights

TesteMysite

Posicionamento dos produtos

O posicionamento dos produtos também é algo a ser analisado na busca por evitar perder vendas no e-commerce. Isso porque dificultar o caminho para chegar até o seu produto não parece ser algo inteligente.

Definir e organizar bem as categorias do seu site, além de ser um fator importante de SEO, é também um modo de aumentar suas conversões.

Pense em um supermercado todo bagunçado. Quanto tempo você levaria pra procurar o produto que precisa até ficar frustrado e ir embora?

Filtro

Em conjunto com a organização dos produtos, ter filtros que ajudem o visitante a encontrar o produto também é de grande ajuda quando buscamos aumentar a taxa de conversão no e-commerce.

Pense que quando colocamos categorias bem definidas, produtos disponíveis e organizados, além de filtros para chegar ao produto que o cliente busca, isso melhora a experiência do usuário na sua loja, refletindo no resultado final, mais vendas!

Imagem dos produtos

Ter boas imagens dos produtos da sua loja é de suma importância. Como não estão na loja física vendo os produtos, tocando-os e até experimentando, ter fotos de qualidade que superem essas barreiras é primordial para que consiga atrair a atenção do visitante e torná-lo cliente.

Procure ter fotos profissionais, com detalhes e ângulos que ajudem no processo de compra do cliente.

Prova Social

No processo de compra é normal que as pessoas busquem referências antes de comprar algo, seja uma televisão, um notebook, um livro ou até mesmo roupa.

Sua loja deve conter elementos que ajudem nesse momento de decisão e que ele se sinta confortável em realizar a compra. Alguns deles:

  • Depoimentos
  • Selos
  • Certificados

E agora?

Bom, como pode ver são diversos fatores que impedem um e-commerce ter um bom resultado, mesmo tendo um bom volume de tráfego. Veja que nas situações que colocamos, aumentar o tráfego não seria necessariamente a solução para que atinja seus objetivos.

Você pode evitar perdas de vendas no e-commerce tendo dados melhor apurados ou melhorando a experiência do usuário na sua loja.

Comece diagnosticando o problema que possui no seu e-commerce. Utilize a metodologia a seu favor para identificar esses gargalos, envolvendo a equipe ou até mesmo a sua agência digital na busca por soluções.

Se ficou alguma dúvida ou sugestão dos pontos levantados, deixe seu comentário!