© 2019 - Ciclo Inteligência em E-commerce.
All rights reserved.

BLOG

Como evitar o AdBlocking com qualidade, controle, transparência e eficiência

Flávio Beraldo

Por Flávio Beraldo

18 de janeiro de 2017

Preocupações sobre privacidade de dados, padrão de publicidade e segmentação de consumidores são questões que estão constantemente em pauta entre os principais profissionais do mercado digital. Enquanto de um lado existe a preocupação de não saturar o internauta com publicidade irrelevante, do outro temos as empresas querendo divulgar seus produtos e serviços.

Os AdBlockings são extensões de navegadores que bloqueiam a exibição de anúncios como banners, pop-ups ou qualquer outro tipo de mídia invasiva. Esse recurso foi uma solução radical criada pensando no lado do consumidor e evitar que ele seja impactado por anúncios genéricos.

No entanto, é sabido que 41% dos clientes são mais propensos a interagir com anúncios segmentados de acordo com seus interesses e 61% tem uma percepção mais positiva sobre uma marca quando os conteúdos são personalizados.

Mas, se você é um anunciante, não se preocupe! Existem alternativas para você fazer os seus anúncios com qualidade, controle, transparência e eficiência, evitando o AdBlocking.

Dois recursos disponíveis atualmente e que vão te ajudar a despistar o AdBlocking são: AdChoices e Native Ads.

O que é Native Ads?

Native Ads (Publicidade Nativa) é um formato de mídia paga onde a experiência do anúncio segue a forma e a função naturais do site no qual ela é colocada. Os anúncios nativos correspondem ao design visual da página em que estão e parecem com o conteúdo original para o usuário on-line.

Nesse tipo publicidade na web o anunciante tenta ganhar a atenção do consumidor, fornecendo um conteúdo valioso no contexto da experiência do usuário.

O que é o AdChoices?

O AdChoices é um programa de auto-regulação para publicidade on-line, criada nos Estados Unidos, Canadá e Europa, concebido para proteger a privacidade dos usuários da Internet e dando controle ao usuário sobre os seus dados de utilização da Internet.

Tudo começou em 2009, quando a Federal Trade Commission encarregou os anunciantes com o desenvolvimento de um conjunto de princípios de regulação da indústria para “capacitar os usuários da Internet para gerenciar seus próprios dados e ter mais controle sobre os anúncios que são mostrados”. Aos anunciantes foram oferecidos a oportunidade de definir os termos e padrões próprios, levando ao programa AdChoices que conhecemos hoje.

Como funciona o AdChoices?

Para cumprir com esses regulamentos, os anunciantes são legalmente obrigados a exibir um ícone do AdChoice quando eles segmentam um usuário com base no comportamento do cookie.

O ícone é pequeno e discreto, e se um usuário rolar sobre ele um link com o rótulo “AdChoices” aparece.

Quando um usuário clica no ícone (normalmente encontrado no canto superior direito de um anúncio on-line), eles podem aprender mais sobre o anúncio ou as práticas de coleta de dados de um site e ter a capacidade de optar por não fazer tal segmentação.

Como o AdChoices afeta os anunciantes e consumidores?

Para anunciantes, o AdChoices define um padrão e benchmark da indústria para ajudar a garantir que os melhores anúncios sejam veiculados. Importante também citar, o AdChoices ajuda a melhorar a comunicação com o consumidor. O envolvimento do consumidor é crucial para ajudar a criar confiança entre o anunciante e o consumidor potencial.

Para os consumidores, o AdChoices oferece maior controle, privacidade e, acima de tudo, transparência. Ser capaz de ver quais dados uma empresa tem e como eles estão usando isso significa que eles não estão mais no escuro, e pode, se desejado, alterar como seus dados são usados.

Ao defender a transparência e compartilhar o conhecimento dessa forma, os anunciantes e, principalmente, os consumidores, ajudarão a moldar a indústria de publicidade que a sociedade deseja.

E como a Mídia Programática ajuda?

Ao usar a Mídia Programática o anunciante consegue ser ainda mais assertivo com a comunicação e o público que vai atingir. Fazendo isso e utilizando os recursos citados acima, a relevância será muito maior potencializando as chances de conversão, uma vez que o consumidor será impactado por uma mídia não invasiva e com um conteúdo personalizado e direcionado para ele.

O segredo do sucesso nas campanhas digitais é o cuidado com o cliente. Faça o planejamento e a implementação pensando na experiência que o internauta terá ao ser impactado pelas suas comunicações.

Fonte: Ve Interactive Blog

IAB USA implementou o programa LEAN (light, encrypted, ad choice supported, non-invasive ads), que são diretrizes que orientarão no desenvolvimento de anúncios mais leves, criptografados, que respeitam a escolha do usuário e que não sejam invasivos.

Light = refere-se ao tamanho dos arquivos e o controle cuidadoso em relação a privacidade de dados.

Encrypted (Criptografado) = garante a segurança do usuário em anúncios compatíveis com HTTPS / SSL.

Ad Choices = todos os anúncios devem apoiar programas de privacidade do consumidor e controle do comportamento da publicidade.
Non-Invasive Ads = são os anúncios que complementam a experiência do usuário e não o perturba. Isso inclui anúncios que cobrem o conteúdo e sons que são ativados automaticamente.
Outra iniciativa é o DEAL (detect, explain, ask and lift or limit), que auxilia principalmente provedores de conteúdo, sobre como agir no contexto de adblocking. Ambos os conceitos serão aplicados e difundidos pelo IAB Brasil e outros IABs no mundo.

DETECTE se há adblocking, a fim de iniciar uma conversa.

EXPLIQUE ao consumidor a troca de valor que a publicidade permite.

PEÇA (ASK) a mudança de comportamento, a fim de manter uma troca equitativa.

LEVANTE as restrições ou LIMITE o acesso em resposta ao consumidor

Fonte: IAB

Gostou desse conteúdo ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário