© 2019 - Ciclo Inteligência em E-commerce.
All rights reserved.

BLOG

Marketing de afiliados para loja virtual

Flávio Beraldo

Por Flávio Beraldo

23 de maio de 2018

Quem trabalha com marketing digital, já deve ter ouvido falar de Marketing de Afiliados, não é mesmo? Porém, poucos sabem qual é o seu real significado. Mesmo que seja um mercado ainda muito pequeno, já conseguiu crescer mais de 100% nesses últimos tempos, comparado a outras ações.

Assim, o marketing de afiliados é mais nova oportunidade de ganhar dinheiro pela internet. Para que isso possa funcionar no seu negócio, será preciso entender antes de mais nada, como tudo isso funciona e quais é a melhor escolha para o seu negócio.

O que marketing de afiliados?

Para quem não sabe, o Marketing de Afiliados é uma forma de publicidade online muito eficaz, lucrativa e simples: o anunciante disponibiliza suas ofertas a Plataforma de Programas de Afiliados (sistema de parceria entre os Publisher e os anunciantes) e o Publisher (criador de conteúdo) divulga os produtos, em troca de uma comissão por venda realizada. Ou seja, o investimento proporcional aos resultados de venda.

Marketing de afiliado: Canais mais usados para divulgar o produto

Para ter um bom marketing de afiliado, não precisa ter um canal exclusivo, mesmo sabendo que isso seja muito recomendável para que você consiga alcançar consumidores, onde quer que eles estejblam. Porém fiquem atentos: antes de escolher qualquer canal de preferência, entenda o que o seu público necessita e saber como o mesmo busca a informação.

A ideia de ter um canal de comunicação é avaliar qual deles tem uma maior concentração de clientes, e conforme o negócio esteja crescendo, analise as personas mais adequadas para a divulgação do produto. Agora, veja alguns dos canais mais utilizados para divulgação e venda dos produtos:

Site ou blog

Você quer atingir as pessoas através de conteúdos mais precisos e que pesquisam antes mesmo de fazer alguma compra? Então, ter um blog ou um site é perfeito! A vantagem disso, é que você tem a liberdade editorial, tendo uma quantidade de opções que você pode escrever a fim de deixar a página mais parecida com o seu público, diferente das redes sociais, que possuem um layout fixo com limitações de caracteres.

Além disso, para o blog/site é bom para quem faz muitos reviews sobre os produtos, porque permite que você use argumentos visuais e escritos para convencer seus leitores sobre o assunto.

Redes Sociais

As redes sociais são os canais mais indicados para a divulgação de produtos e serviços, e assim podem trazer resultados significativos nas vendas, desde que seja feito de forma correta, não é mesmo? Redes como o Facebook, Twitter, Pinterest e Youtube são exemplos comuns e excelentes para quem quer alcançar seu devido conhecido diante do mercado. Basta perceber os perfis dos influenciadores digitais, artistas e celebridades com milhares de seguidores que são muito utilizados para as estratégias de afiliados.

Formatos de divulgação

No marketing de afiliados, existem diversas nomenclaturas e formatos de programas que as empresas e anunciantes têm a fazer para monetizar para seu público. E quando você promove um determinado programa, você automaticamente é beneficiado: CPC, CPL, CPM, CPF ou CPA. Assim, veja a seguir:

CPC (Custo por Clique)

O primeiro formato é o Custo por Clique, ou seja, como o próprio diz, você paga apenas as vezes que o seu anúncio recebe o clique. Para quem não sabe, o Google Adwords é uma excelente ferramenta que trabalha com este modelo.

A vantagem é que o CPC mostra os números exatos de pessoas que acessaram o seu anúncio. Com isso, a pessoa vai converter em uma venda ou no cadastro, e assim por diante.E é muito relevante que a campanha continue, pois de nada adianta prometer fundos no anúncio, se o público-alvo não chegar na página, sendo o principalmente objetivo dessa ação.

CPM (Custo por Mil Impressões)

O CPM, ou o Custo por Mil Impressões é muito conhecido por campanhas feitas em blogs e portais de notícias. Por isso, são estendidos espaços em páginas dos afiliados para publicações de banners.

Assim, quanto mais espaços e quanto maiores os banners, mais custoso será o COM. Esse tipo de formato funciona bem como reforço positivo da marca, isto é, o branding, porém não se traduz em vendas diretas.

CPA (Custo por Ação)

O Custo por Ação, nada mais é, do que o anunciante apenas pagar para o afiliado quando o objetivo da campanha for realmente alcançado, seja na venda do produto, ou na visualização de um vídeo ou até mesmo, na meta baseada numa ação.

Este formato pode ser considerado o mais caro dos quatro tipos citados, pois o resultado é mais difícil de atingir, porém se a empresa tiver a sorte de ter mais margens altas em seus produtos, é algo benéfico.

CPL (Custo por Lead)

O último formato da lista é específico para empresas que querem obter novos clientes. Assim, quanto mais campos o formulário tiver, mais rentável o seu produto será, e mais alto o custo do lead. Este tipo vale a pena quando, futuramente, você trabalhar com um bom funil de conversão de clientes. Porque existem empresas que conseguem o lead, e com o tempo, o deixam de lado, perdendo o investimento.

CPF (Custo por Formulário)

Já o Custo por Formulário é a inscrição do usuário em um determinado formulário. Ao desenvolver este tipo de programa, você faz com que ele acesse a página e preencha o formulário, sendo simples ou até mesmo complexo. E ao finalizá-lo, a pessoa recebe um valor fixo por isso, independente se o usuário se torne cliente da empresa, compre produto ou não.

O objetivo principal é que a pessoa apenas se inscreva no formulário e nada mais que isso. Caso, ele faça outras atividades junto da empresa, isso já não será contabilizado como ganho. O que ganha é exclusivamente do preenchimento.

CPA (Custo por Aquisição)

Como a própria sigla explica, o CPA ou Custo por aquisição tem como base as vendas em lojas de e-commerce, na qual, o objetivo principal é converter os usuários a comprar os seus produtos, independente do nicho. Por regra, esse programa paga por um certo valor percentual sobre as vendas realizadas. Então, por exemplo, se um usuário comprar uma X quantia de produtos, o dono receberá no final de tudo, um Y% de comissão sobre o valor de compra.

Conclusão

Ao iniciar no marketing de afiliados, saiba que antes de mais nada, você precisa compreender como funciona cada partilha de receitas e escolha a melhor e mais lucrativa para o seu negócio. Assim, entenda que cada caso é um caso, para que isso seja feito com sucesso, é necessário que você estuda as possibilidades mais adequadas para o seu negócio. No entanto, qualquer tipo de afiliado é caminho para você rentabilizar o seu projeto!

Quer aumentar as vendas do seu negócio? Nós somos uma agência de marketing digital especializada em impulsionar o crescimento da sua loja virtual, utilizando tecnologia, marketing e pessoas.