© 2019 - Ciclo Inteligência em E-commerce.
All rights reserved.

BLOG

Como elaborar precificação dos produtos do seu e-commerce?

Flávio Beraldo

Por Flávio Beraldo

22 de novembro de 2017

Uma das maiores dores de quem trabalha com mercadorias é o momento de realizar a precificação do produto. Isso porque se trata de uma fase primordial para que a empresa cresça e lucre cada vez mais.

No momento de calcular o preço de venda de determinado produto, muitos empresários deixam de lado alguns custos essenciais para realizar o cálculo e acabam errando no momento de precificar corretamente, como é o caso de considerar os custos fixos e variáveis da empresa no momento de formação de preço.

Passo a passo para precificação dos produtos do seu e-commerce

Não é uma das atividades mais prazerosas ficar calculando o preço de venda, porém é essencial para que a empresa consiga crescer e se desenvolver de forma exponencial. Por isso, vamos mostrar o que deve ser considerado no momento de formar os preços de venda e como realizar este cálculo.

Formação do preço de venda

No momento de formação do preço de venda, a empresa deve considerar todos os custos envolvidos seja diretamente ou indiretamente sobre o produto, somado ao lucro pretendido pela organização.

Dentro dessa equação, consideramos para precificação de produto, os custos fixos e variáveis da empresa, acrescido da margem de lucro esperada pelo empresário.

Custos fixos

São os custos que a empresa tem todo mês, ela vendendo ou não. Podemos considerar como custo fixo, o aluguel da loja, funcionários, material de limpeza, etc. Muitos não colocam na equação, fazendo que muitas vezes, ao final do período conste déficit na operação.

Custos variáveis

Os custos variáveis, como o próprio nome diz são os custos que variam de acordo com a produção ou venda, ou seja, quanto mais você vende, mais sobe. Nesse grupo de despesas podemos considerar as comissões dos vendedores, energia elétrica, matéria-prima e etc.

Margem de lucro

A margem de lucro é a que você espera ganhar em cima do capital empregado. Não há uma porcentagem fixa. Algumas áreas de mercado a porcentagem pode chegar a 70 ou a 100%, entretanto, alguns não passam de 5%.

Markup

O markup ou Mark up é um índice que auxilia no processo de formação de preço de venda. Trata-se de um multiplicador calculado em cima do custo do produto. De uma forma prática, ele lhe da o resultado do valor de venda de determinado produto calculado. Isso garante que os custos de produção ou aquisição do produto estão cobertos e seja adicionada a margem de lucro esperada.

Grandes empresas utilizam este índice na formação de preço, entretanto, pela sua facilidade, empresas de todos os portes podem adotar este índice para maior assertividade da precificação do produto.

  1. Procure identificar a porcentagem de custo fixo atribuída a cada unidade do produto
  2. Após isso, identifique a porcentagem de custos variáveis atribuídas a cada unidade do produto
  3. Ao final, defina o percentual de margem de lucro pretendida a cada unidade

Vamos realizar o calculo através da seguinte fórmula

100/[100-(DV+DF+LP)]

DV: Despesas variáveis

DF: Despesas fixas

LP: Lucro pretendido (margem)

100: Representa o preço unitário total de venda em percentual

Exemplo: Consideremos que o custo do produto ou serviço seja de R$ 30,00 e sua estrutura de custos esteja da seguinte maneira:

DV: 10% / DF: 10% / LP: 10%

Markup = 100/[10+10+10)]

Markup = 100/ 30

Markup = 3,3333

Descoberto o markup, basta aplicá-lo ao custo direto do produto ou serviço:

Preço de venda = 30*3,3333 = R$ 99,99 ou R$ 100,00.

Preço de mercado

Quando vamos formar o preço de venda, como pode ver, levamos em consideração os custos que a empresa tem para fazer ou adquirir aquele produto e soma-se a margem de lucro desejada. Entretanto, não podemos considerar esse ponto como regra ou exclusivo para definir o preço de um produto.

O mercado é regido por oferta e demanda. Sendo assim, levar em consideração os preços praticados no mercado é essencial para trazer o preço de venda pra realidade. De nada adianta formar o preço de venda e ninguém comprar devido ao seu alto custo e a concorrência oferecer o mesmo a preço menor.

Esses pontos são importantes no momento de precificação de um produto. A formação de preço está ligado a aspectos financeiros e mercadológicos. Se formado o preço e ele ficar muito acima da concorrência, é preciso reavaliar a idéia, composição dos preços, entre outros aspectos.

Valor da marca

Um ponto que consegue diferenciar em relação a formação de preços e conseguir maior margem é o valor que a marca transmite. Vemos muito isso em celulares, roupas e outros produtos onde são produzidos a custos próximos, mas determinada marca consegue cobrar um preço bem superior ao mercado.

Isso se deve ao valor que o consumidor enxerga naquela marca e o que ela transmite. Provavelmente você já deve ter escutado que valor é diferente de preço. Essas marcas conseguem expor bem essa expressão. Podemos citar como exemplo, marcas como: Apple, Coca-cola, Louis Vitton, entre outras.

Claro que muitas possuem boa qualidade, produto durável que reforçam o preço, mas os valores intrínsecos, percepção contam muito no preço cobrado por essas marcas.

O custo de não precificar corretamente

Já vimos muitos problemas que ocorrem no momento de não precificar corretamente. Seja um produto ou serviço, isso impedirá a empresa de crescer e alcançar os lucros desejados. A precificação é um dos principais causadores disso.

Seja deixando custos de lado que ao final vão comendo a margem de lucro, como em serviços, onde a empresa praticamente começa a trabalhar no prejuízo, isso pode causar altos danos e até mesmo a falência da empresa.

Precificar corretamente ajudará a dar maior escala para suas vendas. Imagine você investir em marketing, vender os produtos e descobrir ao final que as contas estão no vermelho, o investimento não se pagou… Muitos colocam como solução o aumento das vendas, mas descobrem que ao final, sua precificação está feita de forma incorreta, escorrendo o lucro pelo ralo.

Fique atento ao momento de precificar, rever os custos da empresa e até mesmo o estágio daquele determinado produto. Isso contribuirá para uma operação mais rentável e que cresça de forma sustentável.

Gostou desse conteúdo ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário