© 2019 - Ciclo Inteligência em E-commerce.
All rights reserved.

BLOG

branding para o e-commerce

Qual a importância do branding para o e-commerce?

Alan Rocumback

Por Alan Rocumback

23 de julho de 2019

O branding está diretamente ligado com a percepção que os clientes têm das marcas, sendo este um fator primordial no momento para o consumo. Para que ele seja desenvolvido, um grupo de práticas são implementadas para gerar valor e obter um posicionamento mais favorável no mercado.

Para compreender de uma forma mais clara este conceito, é interessante abordar a citação de Walter Landor, em que aponta que enquanto os produtos são criados em fábricas, as marcas são criadas na mente. É uma representação sutil da perspectiva de marca a partir do branding, mas que deixa claro que o branding está relacionado com a percepção dos consumidores e os tipos de táticas empregadas no marketing.

As estratégias podem ser aplicadas nos mais variados setores, portes de corporações e modelos de negócios  inclusive no e-commerce, que devido a popularização das plataformas digitais, apresenta um espaço notório como forma de consumo. O uso de exemplos é enriquecedor para uma perspectiva mais clara da construção de um branding positivo e para compreender táticas, dicas e sua importância, será possível conferir ao longo do texto o desenvolvimento relacionado a um e-commerce do setor de construção civil.

Qual é o impacto do branding para o e-commerce?

O comércio eletrônico integra um cenário competitivo, em que uma das principais dúvidas dos empreendedores torna-se como se destacar nesse meio. Com o branding, a conexão entre a marca e os consumidores é primordial para as transações comerciais. A questão é que pode haver diversas lojas virtuais que disponibilizam a venda de um portão automático, mas se há uma concepção positiva do cliente por determinada empresa, existem grandes chances de ser selecionada para obter uma solução.

Com as ações certas, a empresa alcança forma, personalidade e autoridade. Deste modo, o valor da marca é criado, contando com vínculos e fortalecimento. Entre os principais aspectos que sofrem impacto, estão:

  • Valor agregado;
  • Redução de CAC;
  • LTV elevado;
  • Aumento do ROI.

O valor agregado pode ou não ser financeiro, pois condiz com a percepção do consumidor a respeito do produto em que não só sua necessidade é atendida, como também as expectativas são superadas. Por exemplo, o valor agregado na aquisição de uma cobertura em policarbonato pode ser o tipo de suporte oferecido pela empresa, descontos ou pontos relacionados com alguma utilidade, afetividade e até mesmo algo simbólico.

O CAC (Custo de Aquisição de Clientes) corresponde a ligação dos gastos com o marketing digital e a quantidade de consumidores. Por essa razão, permite que o profissional tenha consciência de quanto é necessário investir para a atração de um novo cliente. O branding também contribui com o LTV (Lifetime Value), que basicamente condiz com a análise de quanto é faturado com determinado cliente no decorrer da relação dele com a empresa.

Com os dados obtidos, os profissionais podem identificar o potencial que os clientes possuem mesmo após encerrar uma compra. Por exemplo, se o cliente adquire uma fechadura eletrônica para portão em uma empresa que tem um branding bem desenvolvido e uma percepção positiva já está clara, há maior potencial para retenção.

Já o ROI (Retorno Sobre Investimento) tem relação direta com a lucratividade. Mais precisamente, possibilita que exista o conhecimento a respeito de ganhos e perdas de recursos financeiros. Dessa forma, os profissionais podem averiguar quais são as iniciativas mais lucrativas, pontos que exigem ajustes e ainda mais, as informações podem ser aplicadas para o planejamento de objetivos em resultados mais concretos.

Aspectos do desenvolvimento

Para que o desenvolvimento do branding resulte de fato em uma loja virtual com uma marca fortalecida perante o mercado, cada empresa deve seguir passos compatíveis com suas particularidades. Todavia, há alguns pontos gerais que devem ser atendidos, tais como:

1) Conhecimento da marca

Primeiramente, é de grande importância ter uma compreensão ampla do próprio e-commerce, sendo que neste caso, os pontos de maior destaque são: soluções proporcionadas, missão da empresa, percepção dos clientes atuais e o que o empreendedor almeja que seja atrelado à marca. Uma solução para parte dessas questões, é a atenção aos feedbacks dos clientes. Ainda mais, a empresa pode efetuar uma pesquisa por e-mail e apresentar um benefício para os participantes, por exemplo, um e-commerce de casa e construção, desconto no piso vinílico em placa.

2) Divisão de fatores relevantes

Quando se trata do branding não apenas o conhecimento dos clientes é importante, como também compartilhar a história da marca, seus valores, referências e o que representa. Dessa maneira, as pessoas podem obter uma maior confiança no e-commerce e até mesmo ter admiração e/ou identificação, o que é significativo para se destacar no mercado.

3) Alinhamento de expectativas

Por mais que seja significativo compartilhar a respeito da marca, é fundamental ter cautela com a transparência, caso contrário os clientes podem ficar frustrados. Por exemplo, se com produtos como uma cadeira de rodas elétrica, a empresa apresenta políticas de devolução diferenciadas, é imprescindível que seja algo claro. Outro exemplo são corporações que apresentam falhas severas no suporte prestado e aponta esse fator como um de seus principais compromissos. Ainda mais, é válido citar que a frustração do cliente pode ter uma repercussão ampla e ágil, dando origem a consideráveis prejuízos.

3) Priorização da experiência do consumidor

É de grande importância que os profissionais que atuam no e-commerce priorizem cada etapa da experiência do cliente, em especial, para assegurar que seja a melhor possível. É um ponto abrangente, pois se considera desde o primeiro contato com a plataforma até a pós venda. Dessa forma é possível detectar as oportunidades de maior destaque no desenvolvimento da relação com os consumidores. Nesse caso, é possível citar como exemplo um cliente em potencial que está em busca por transformador preço. Além de táticas que despertem seu interesse e o levem para a compra, apostar no pós-venda é crucial, como em dicas enviadas por e-mail.

4) Concentração no mercado

Assim como ocorre com outras estratégias, no caso do branding a loja virtual deve definir abordagens assertivas. Para atender essa questão, há necessidade de estabelecer a audiência e o tipo de mensagem que será passada. Não conhecer o público-alvo adequadamente pode comprometer o sucesso da estratégia, naturalmente, o tipo de abordagem de uma empresa que comercializa materiais da área civil como piso intertravado é diferente de setores como o de cosméticos.

Devido a esses fatores, é interessante que a empresa tenha uma persona bem definida. No entanto, ao se tratar da persona nas noções de branding, há alguns conceitos diferenciados que exigem atenção e que serão apresentados a seguir.

O que é brand persona?

A criação de uma brand persona contribui de uma forma significativa para o desenvolvimento de branding das empresas. Antes de apresentar seu impacto, é importante diferenciar a persona, também chamada de buyer persona e brand persona. O conceito de persona condiz com um perfil semi fictício que representa o cliente ideal da marca. Se pode observar que pode ser aplicado para atender diferentes finalidades.

Nesse caso, a respeito dos clientes em potencial que buscam por materiais como revestimento de pedra para sala, são levantadas características mais específicas do que na definição do público-alvo, como hobbies, profissão, hábitos e ambições.

A buyer persona é uma definição aplicada predominantemente para aprimorar o mapeamento de materiais criados, o comportamento de pesquisa, entre outras possibilidades. Já a brand persona, apesar de atender a mesma premissa de estruturação do perfil, muitas vezes é definida para otimizar táticas de engajamento e de proximidade dos valores da empresa aos valores dos consumidores.

De certa forma, ambos conceitos estão relacionados com a decisão de compra, porém, a brand persona tem como funcionalidade de maior destaque a comunicação e transmissão de valores. Outra dica interessante e que está diretamente relacionada com a definição de brand persona, é que a partir do momento em que a empresa estabelece esse perfil, a coerência deve estar sempre presente em suas abordagens.

Em todo os processos apresentados ao longo do texto, é válido ressaltar que a paciência e o comprometimento são dois fatores de destaque para o branding. Isso se deve ao fato de que a construção de uma marca forte, o que é relativo para as corporações, envolve práticas a médio e longo prazo. Ainda mais, acompanhar os resultados de cada ação é imprescindível para averiguar o que apresenta ou não resultado positivo.

Desta forma, é possível compreender que o branding vai além de um produto de qualidade ou um design atrativo da plataforma de vendas. Se pode dizer que trata-se de uma verdadeira gestão da marca, com grande potencial para alavancá-la.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.